25.6.14




Sérgio Toledo*


            Você já ouviu falar na Ilha do Sol em São Gonçalo? Hey, não é de São Gonçalo na Bahia que estou falando... É São Gonçalo, Rio de Janeiro, Baía da Guanabara... Não sabiam que existia uma ilha de nudismo aqui? Pasmem! Nem eu. Vou contar a história pra vocês...

            Existiu há alguns anos atrás, claro que eu não estava lá (risos), mas soube de uma gata chamada: Luz del Fuego, Imaginem o fuego da gata! Luz del Fuego, nome artístico de Dora Vivacqua  (1917-1967), foi uma bailarina, naturista e feminista brasileira. Dora foi a décima quinta filha de Etelvina e Antonio Vivacqua, de famílias oriundas da imigração italiana no Espírito Santo. Nasceu em Cachoeiro do Itapemirim, Espírito Santo, no dia 21 de fevereiro de 1917, nasceu na madrugada de uma segunda-feira de carnaval.

Dora Vivacqua, Luz del Fuego(1917-1967)

            A bela com curvas esculturais tinha um affair com o então ministro da marinha, que babava em seus shows, principalmente quando ela dançava enrolada em uma jiboia. Como sabemos que a imaginação masculina ganha asas com certas coisas, o ministro não resistiu ao pedido da morena de liberdade e presenteou-a com a ilha de Tapuma de Dentro, para que pudesse se isolar e andar nua em pêlo pelas águas até então não poluídas do lugar, formando assim a primeira colônia de Naturismo da América Latina e rebatizou como Ilha do Sol, situada próximo à Praia do Gradim, em São Gonçalo.

Ilha do Sol, São Gonçalo (RJ)
                        A nudez total era obrigatória na Ilha do Sol. Ninguém, nem mesmo autoridades e personalidades podiam entrar na ilha sem deixar toda e qualquer peça de roupas ainda no píer. As roupas deviam ser deixadas na entrada, junto ao pequeno cais de madeira. Era terminantemente proibido levar bebidas alcoólicas, proferir palavrões ou praticar sexo na colônia. 


                     A diferença entre naturalismo e libertinagem era veementemente ressaltada:

“’Aqui não é rendez-vous nem motel. Se querem farra e sexo, fiquem nos seus apartamentos em Copacabana’. Só eram permitidas as atividades saudáveis. Nadar, jogar vôlei, tomar banho de sol, etc.” (Luz del Fuego)

            Na primeira metade dos anos 1950 ela fundou um partido político chamado Partido Naturalista Brasileiro e se candidatou a deputada federal por este partido.

Luz del Fuego candidata pelo Partido Naturalista Brasileiro

            Nos anos 60, Luz Del Fuego passou a viver definitivamente na Ilha do Sol. Com suas reservas financeiras terminando e a idade chegando, o mito começou a desaparecer. Já não tinha mais relacionamentos com homens influentes e ricos e passou então a se envolver com homens pobres, bem distantes do seu nível social.



            No dia 19 de julho de 1967, vítima de uma emboscada, Luz Del "Fuego" e seu vigia Edgar foram brutalmente assassinados e jogados no fundo da baía de Guanabara. O crime só foi desvendado duas semanas após. Um dos assassinos confessou que a vingança foi o motivo do assassinato, pois Luz havia denunciado ele e seu irmão para a polícia. Mas, depois se descobriu que o motivo envolvia o uso de explosivos em pescas predatórias... Coitada da moça!

            Essa é a história que cerca a Ilha do Sol. Agora quando passarem por perto de barco ou avistarem a ilha, vocês já sabem que ali foi palco de uma rica história em áreas gonçalenses.

            É claro que hoje em dia não terão a visão da Luz del Fuego" sassaricando com sua "enorme" jiboia por lá, mas fica aí um pedacinho da história deste lugar que foi tristemente assolado pelas chuvas das últimas semanas, que sempre foi palco de histórias curiosas e engraçadas!



Curiosidades

  • - Segunda metade dos anos 50 - A Ilha do Sol passou a ser uma das grandes atrações do Rio de Janeiro, apesar de não fazer parte dos roteiros turísticos oficiais. Várias estrelas do cinema americano conheceram a ilha: Errol Flynn, Lana Turner, Ava Gardner, Tyrone Powel, César Romero, Glenn Ford, Brigitte Bardot e Steve MacQueen, que encerrou sua temporada de uma semana na ilha depois de acordar com uma das jibóias de Luz sobre seu peito. Em 1959, a loiríssima Jayne Mansfield e seu marido aportaram na ilha, mas foram proibidos de descer pois Jayne não queria ficar nua. 

  • - Em 1947, por sugestão do palhaço Cascudo, Dora mudou o nome para "Luz del Fuego", nome de um batom argentino recém lançado no mercado. Conforme Cascudo, "nome atraía público". A imagem do "fogo" representava bem a nova opção de vida da dançarina.



Sobre o Autor:

Sérgio Toledo Rodrigues Sérgio Toledo Rodrigues é colaborador do Blog Tafulhar. É editor da Página do Facebook Amigos de São Gonçalo e Sua História, destinada a inserção de dados históricos sobre a cidade de São Gonçalo, pela busca de sua identidade, com participação dos verdadeiros amigos desta cidade. Facebook: Sérgio Toledo.

{ 3 comentários... read them below or Comment }

  1. Bela história! Muito interessante todas essas informações. É de se lamentar a pouca divulgação da importância dessa ilha, assim como das personalidades mundiais que por lá aceitaram tirar a roupa. Belo texto!

    Testahy
    Curta: Testahy

    ResponderExcluir
  2. Estive na Ilha hoje fazendo um passeio de stand up paddle e vi as ruínas da casa. O lugar é lindo porém a água da Baia da Guanabara estava imunda, vai ser uma vergonha nas Olimpíadas.

    ResponderExcluir
  3. Estive na Ilha hoje fazendo um passeio de stand up paddle e vi as ruínas da casa. O lugar é lindo porém a água da Baia da Guanabara estava imunda, vai ser uma vergonha nas Olimpíadas.

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante, pois estimula novas postagens

Sugestões

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Copyleft

Copyleft
O conteúdo do blog Tafulhar é “Copyleft”, podendo ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor e, se for o caso, à fonte primária da informação

Translate

Localizar no Tafulhar

Recomende em

Seguidores

Google+ Followers

Receba notícias por e-mail

Postagens Populares

Arquivo do blog

Tecnologia do Blogger.

addthis

- Copyright © Tafulhar -Tafulhar -