8.4.13



        Naturalmente amamos a nossa terra natal, porém esse amor fica mais forte e apaixonado quando adotamos uma cidade, sua gente e sua cultura. Exemplo disso foi o que aconteceu com o garoto simples do bairro do Caju, na cidade do Rio de Janeiro, Joaquim de Almeida, que adotou a cidade de São Gonçalo não só como moradia, mas arregaçou as mangas e batalhou para que ela crescesse e se desenvolvesse. 


       Na contramão de qualquer político engravatado e com a simplicidade de um trabalhador rural, Joaquim de Almeida adotou “Lavoura” ao seu nome, e não foi por marketing para afirmar a simplicidade, mas sim a simplicidade de homenagear sua querida avó paterna. Não era seu nome que o deixaria mais simples e sim o seu comportamento que o fez uma lenda na política de São Gonçalo.

         Um homem que suou a camisa trabalhando 12 horas diárias como lenhador para no final do dia ganhar Cr$ 4,00 (Quatro Cruzeiros) tinha que ser mesmo representante do povo. Alem de lenhador Lavoura foi pescador seguindo os passos do pai, e quis o destino que ele entrasse na política justamente para defender essa classe que ganha à vida com pescado. Foi em 1931 com 21 anos de idade trabalhando em uma fábrica de conservas de peixe que lutou contra o decreto federal onde o então Ministro da Agricultura General Juarez Távora criou um Entreposto Federal da Pesca, onde os pescadores eram obrigados a entregar ali toda sua pesca, e um leiloeiro designado pelas autoridades, revenderia os peixes aos consumidores pelo preço que ele mesmo determinaria e cobraria 5% do bruto da venda. Lavoura com sua nata liderança logo tornou-se representante dos pescadores nessa luta e a vitória surgiu na anulação do artigo.

         Só mesmo aos 33 anos que Joaquim de Almeida Lavoura entrou de cabeça na política filiando-se ao PSD, Partido Social Democrata, era oficialmente candidato e se elegeu como um dos vereadores mais votados. Lavoura não tinha mais o salário de lenhador, ganhava mensais Cr$ 1.300,00 com o salário de vereador, porém simples como sempre foi sua vida, achava que aquele salário era mais do que precisava e mês sim e mês não doava todo salário para o Hospital de São Gonçalo. Esse gesto não é comum entre políticos, principalmente os de hoje, mas não foi só esse gesto que tornou-o um político popular. Era comum encontrá-lo em canteiros de obra trabalhando entre operários e a noite ainda tinha pique para se dedicar as necessidades de sua administração. Tornou-se conhecido como “O Vereador de Tamanco” (como se chamava os calçados dos operários da época).
Estátua de Joaquim Lavoura, praça Estefânia de Carvalho, São Gonçalo.

         Antes de se candidatar a prefeito em 1954, Lavoura tentou sem sucesso candidatar-se em 1950 à Assembléia Legislativa. Deve ter sido uma punhalada pelas costas quando seu partido, PSD, rejeitou sua candidatura para prefeitura de São Gonçalo por achar que seu discurso não era acadêmico, já que Lavoura possuía apenas o primário (quarto ano do ensino fundamental). Ele podia não ter escolaridade, mas era extremamente culto, inteligente e principalmente um lutador e imediatamente filiou-se ao PTN (Partido Trabalhista Nacional) e fez ele mesmo a sua campanha eleitoral em um caminhão aberto com um alto falante emprestado falando ao povo -“O Brasil não precisa de doutores, mas de trabalhadores.“ ”Quero me eleger prefeito para trabalhar.” - A pá e a picareta tornaram-se ícones na sua campanha. Não deu outra, dos 36.462 eleitores do município 13.575 elegeram Joaquim Lavoura prefeito de São Gonçalo.

         Além do mandato de prefeito de 1955 a 1959, Lavoura também foi eleito prefeito de 1963 a 1967 e 1973 a 1975, onde faleceu no dia 12 de novembro deste mesmo ano por complicações pulmonares.

      É inquestionável o rumo de São Gonçalo ao desenvolvimento pós Lavoura, responsável por alargamento das ruas, promoveu os calçamentos do Porto Velho e Sete Pontes, via principal entre Niterói e São Gonçalo. Comprou e instalou a Usina de Asfalto e a Fábrica de Artefatos de Cimentos (manilhas e meio-fios). Construiu estradas e pontes, visando o escoamento das produções agrícola, pecuária, comercial e industrial. Porém, acredito que o seu maior feito foi a redução do próprio salário de prefeito de Cr$ 90.000,00 para Cr$ 16.500,00 provando que política se faz com trabalho e não com cifras. 

         Nós, do Recicla Leitores e do Blog Tafulhar, gostaríamos de parabenizar cada gonçalense por essa data especial onde comemoramos 100 anos do nascimento deste político e nos sentimos honrado por ser um projeto da cidade de São Gonçalo. Trabalhamos para que outros “Lavouras” apareçam conduzindo nossa cidade, estado ou país com honestidade e muito trabalho. Joaquim de Almeida Lavoura pode ter tido apenas a educação fundamental, porém era um leitor voraz, e temos a certeza que esse hábito tornou esse homem culto e cheio de princípios éticos.

Sobre o Autor:

Alex Wölbert Alex Wölbert é colaborador do Blog Tafulhar. Faz parte do Projeto Recicla Leitores

Leave a Reply

Seu comentário é muito importante, pois estimula novas postagens

Subscribe to Posts | Subscribe to Comments

Sugestões

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Copyleft

Copyleft
O conteúdo do blog Tafulhar é “Copyleft”, podendo ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor e, se for o caso, à fonte primária da informação

Translate

Localizar no Tafulhar

Recomende em

Seguidores

Google+ Followers

Receba notícias por e-mail

Postagens Populares

Arquivo do blog

Tecnologia do Blogger.

addthis

- Copyright © Tafulhar -Tafulhar -